sexta-feira, 23 de março de 2012

Converter os que são batizados

Antigamente batizavam-se os convertidos. Hoje é preciso converter os batizados (Padre Antonio Vieira) ((•)) Ouça este post

2 comentários:

  1. OS FILHOS DAS TREVAS SÃO MAIS ESPERTOS QUE OS FILHOS DA LUZ -

    O emin. Cardeal G Biffi tem toda razão ao interpelar os católicos, pois afirma que há atualmente uma espécie de letargia geral dos cristãos - entendi que se incluiriam os ordenados relativistas da TL, de comportamentos cismáticos ou apóstatas - salvo poucas exceções, parecendo estar anestesiados, dopados; quando ainda questionam os erros, às vezes é de forma acanhada, como cordeiros enfrentando os lobos.
    É interessante notar como o reino das trevas é mais aguerrido à consecução de seus pérfidos objetivos: mesmo nós sabendo que semeiam vento e colherão tempestade, nem por isso tomamos decisões mais corajosas, sem violências e que, sobrepondo-nos ao mal e fazendo o bem e mantendo acesa a esperança, somos candidatos ao Reino dos Céus.
    Ao se pronunciarem, muitos católicos parecem intérpretes atenuantes do fato pecaminoso, relativistas ou socialistas, fraudando o Vaticano II, por ex., num irenismo à base do vale-tudo, alguns membros eclesiais querendo ganhar adeptos a qualquer custo - se não é desejo de os afastarem dos sãos ensinamentos da Igreja, pervertem-nos via TL, o sutil marxismo cultural que se apresentar sob muitos disfarces.
    Até mesmo o governo estar engajado em apoio à aprovação de aborto, uniões gays, a permissão às redes de apresentarem BBBs da vida, o pornô generalizado - e há muita audiência e participação financeira de supostos católicos, mostra onde estão os conceitos e vivências ético-moral-religiosos das mentes de muitos cristãos, que ainda elegem candidatos e partidos socialistas - piores os possuidores de militância ativa - apoiadores dessas mazelas, que incentivam a práticas ao criarem leis favoráveis, piorando ainda mais o já caótico quadro.
    É preciso exame de consciência de cada um: no Juízo Final também seremos questionados por nossas graves omissões; afinal, pecado não é apenas praticar o mal: é idem deixar de fazer o bem necessário, e que igualmente favorece a injustiça, comprovando ou não o perfil de assumimento do cristianismo. O reflexo do que sucede entre o povo está na cúpula do poder e não adianta só censurá-los: é de uma fé inconsequente e muito irresponsabilidade sócio-eleitoral.

    O caso da irmã Margareth A Farley é mais um dos capítulos de perseguição por que passa a Igreja, em que a tentativa de a implodir provém de supostos membros; proviria das infiltrações socialistas, desde o governo Stálin...

    Aos insistentes em não assumirem o cristianismo ou chegando a fatos como esse, a conversão necessita iniciar dentro da própria Igreja, se não for uma morte antecipada, ou parceria com Satanás para a eternidade...

    ResponderExcluir